"Essa capacidade de experimentar o sentimento é sinônimo da capacidade de dar e receber felicidade."

Guia do Pathwork - Eva Pierrakos
 

 

   Todos nós possuímos emoções imaturas ou negativas. Temos consciência de algumas delas, mas outras estão muito bem escondidas dentro de nós que sequer sabemos de sua existência. Somos acostumados a lutar contra esses sentimentos. Desde muito cedo, em nossa infância, concluímos que para sermos aceitos socialmente, precisamos reprimir determinadas emoções que julgamos inadequadas, negativas ou dignas de vergonha.

   A repressão destes sentimentos causa uma série de problemas. O primeiro deles é que  uma emoção negativa, mesmo que tenha sido reprimida, continua a ter um efeito destrutivo e indesejável na nossa vida. Ela continua a existir longe da nossa percepção consciente e se manifesta de maneira indireta sem que a gente saiba disso. É como colocar a sujeira para debaixo do tapete e acreditar que a sala está limpa. Uma hora ou outra essa sujeira vai aparecer de forma indesejável, como nas situações de crise, por exemplo. Outro grande problema que surge da repressão de sentimentos negativos é que não conseguimos reprimir apenas as emoções ruins e deixar que as positivas fluam. Para que as emoções negativas possam ficar escondidas, é preciso que toda a capacidade de sentir seja bloqueada. Ou seja, quando bloqueamos os sentimentos ruins, prejudicamos também nossa capacidade de sentir emoções positivas como o amor, alegria, empatia. De uma forma ou de outra, nós nos tornamos insensíveis, anestesiados, entorpecidos emocionalmente.

   Para que possamos amadurecer emocionalmente é necessário estarmos abertos para sentir plenamente. Isso acontece quando trazemos os sentimentos escondidos para a superfície da consciência, e permitimos que nosso ego adulto possa lidar com eles. Podemos elaborar tais sentimentos, dar sentido à sua existência e, assim, permitir que esses sentimentos imaturos amadureçam e que as emoções negativas encontrem direcionamentos positivos e construtivos. Enquanto bloqueamos a capacidade de sentir e mantemos todo esse material escondido, nós perdemos a oportunidade de crescer emocionalmente. Dessa forma, guardamos por anos a fio todo um conteúdo emocional imaturo e negativo e, ainda por cima, gastamos boa parte da nossa energia para manter este material bem escondido.

   Parte do trabalho psicoterapêutico da Core Energetics consiste em abrir caminhos para a expressão emocional. Somente quando expressamos nossos sentimentos é que tomamos consciência de seu sentido e importância. A análise intelectual destes sentimentos isoladamente não nos dá essa dimensão. Portanto, ainda que os sentimentos sejam aparentemente inadequados, descontextualizados, ou mesmo sem sentido, é através de sua expressão que podem ser compreendidos de uma maneira mais profunda.

   Quando chegamos nesta etapa da terapia, muitos clientes questionam: “Mas se eu der vazão às minhas emoções negativas e imaturas as pessoas vão me odiar, isto vai me causar muitos problemas, não quero machucar as pessoas”. Em primeiro lugar, é necessário enfatizar que tomar consciência dos sentimentos é diferente de expressá-los. Você pode reconhecer que está odiando determinada pessoa, mas conter este sentimento e escolher o que fazer com ele. O segundo ponto diz respeito a como expressar as suas emoções imaturas, sendo possível manifestá-las de maneira construtiva ou destrutiva.

    A expressão de emoções negativas de maneira descontrolada, apenas para liberar a pressão interna, pode ter consequências indesejáveis. Neste caso, a pessoa se deixa ser tomada pelo conteúdo emocional, sem, contudo, um ego maduro que dê sentido e organização ao processo. Para que a expressão de sentimentos negativos e imaturos possa acontecer de forma construtiva e provoque um crescimento emocional, é necessário escolher pessoas, momentos e lugares adequados. Ao mesmo tempo, é necessária a autorresponsabilização em relação aos próprios sentimentos, evitando acusações e recriminações ao outro. A intenção por trás deste tipo de expressão emocional não é apenas dar vazão às tensões, mas sim contribuir para o maior conhecimento de si mesmo.

     Este cuidado na hora de se expressar nem sempre é possível. Muitas vezes somos realmente tomados pelos sentimentos. Porém, é importante que se tenha este direcionamento como um exercício cotidiano, a fim de construir uma forma de expressão madura e responsável. O processo terapêutico tem em vista o fortalecimento progressivo de um ego saudável para que o cliente possa lidar de forma construtiva com as próprias emoções. O resultado disso é a maior aceitação de si mesmo e o aumento da capacidade de criar empatia com o outro. No fim das contas, isso significa a liberdade de estabelecer conexões mais profundas com outras pessoas e o mundo ao redor.

Expressando emoções negativas

menina que olha